segunda-feira, 16 de outubro de 2017

Medieval: Sacrifício


     O quarto conto da antologia Medieval: Contos de Uma Era Fantástica foi escrito por Eduardo Kasse a mostra um pouco sobre algumas tradições vikings antes de uma expedição pelo mar.

     Em Sacrifício acompanhamos um grupo de irmão em seus rituais, costumes e combates, parte interessante do conto, onde podemos ter uma visão de um mundo bem diferente do que estamos acostumados.

     Acredito que a parte de introdução do conto pareça ser meio longa, já que acontecimento principal fica condensado nos últimos parágrafos, meio corrido, tornando dificil se envolver de verdade com aquelas cenas narradas.

sexta-feira, 13 de outubro de 2017

12 Monkeys- 2ª temporada

Cole e Cassie de os doze macacos

     A segunda temporada de Os 12 Macacos se afasta um pouco do tema vírus mortal para dar espaço para problemas temporais mais complexos e um pouco mais confusos.

     A relação de Cole (Aaron Stanford) e Cassie (Amanda Schull) se torna mais complicada, já que cada um tem uma forma diferente de encarar a missão de salvar o mundo de um colapso temporal.

Cole e Cassie de os doze macacos mirando suas armas um para o outro

     Há bastante ação ao longo dos treze episódios e boas atuações. Gosto muito das cenas que envolvem a Jennifer Goines (Emily Hampshire), minha personagem preferida, dona dos diálogos mais confuso e profundos do seriado, que durante a segunda temporada teve uma maior importância.

Jennifer Goines de os doze macacos armada

      Apesar de gostar da série, fiquei um pouco decepcionada em saber que essa não foi a última temporada, pois o enredo continua a dar voltas, se tornando um pouco cansativo. Acredito que uma maior objetividade pudesse tornar Os 12 Macacos melhor, já que quando se trata de tempo, o roteiro tem que estar bem fechadinho.

segunda-feira, 9 de outubro de 2017

Vida e Morte

livro vida e morte

     Vida e Morte é uma edição especial de aniversário do livro Crepúsculo, onde a mesma história é contada, mas dessa vez o protagonista é Beau Swan, um adolescente descoordenado e deslocado que se apaixona por Edythe Cullen, uma vampira.

     A história segue em grande parte o mesmo roteiro, com algumas alterações, que não posso detalhar para não soltar spoilers.
     Assim como Crepúsculo original, Vida e Morte tem uma escrita leve e fácil, prazerosa de ler, se você não se incomodar com o excesso de romantismo (melação mesmo).

      Apesar de ter gosta de ver a garota (Edythe) ser a mais forte fisicamente da relação e achar interessante ler os personagens em outra perspectiva, no caso de Beau/Bela, eu preferi o original, pois a garota, ainda que meio apagada, tinha um pouco mais de atitude, de teimosia, deixando sua personalidade um pouco menos passiva. Já Edythe/Edward os dois ficaram no mesmo nível para mim.


crepúsculo edição especial


     A edição do livro continha vários erros de digitação, muito mais do que seria aceitável para um livro tão famoso de uma editora grande. Algumas vezes os artigos estavam trocados, o que atrapalha a leitura, principalmente devido ao fato de você tentar se desconectar da imagem do livro original e imaginar os personagens com os gêneros trocados.

domingo, 8 de outubro de 2017

OQAES: Homem-Aranha de volta ao lar


cartas de Homem-Aranha de votla ao lar
      Depois de muito tempo do lançamento, finalmente assisti ao novo reboot de Homem-Aranha, dessa vez produzido pelos estúdios Marvel, fazendo parte do mesmo universo de Os Vingadores.
      Nessa versão, Peter Parker ainda é um adolescente de quinze anos em busca da aprovação de Tony Stark para se unir aos Vingadores, que muitas vezes ao tentar mostrar seu valor como herói, acaba deixando sua vida e deveres de lado.

      Fiquei surpresa em ter gostado do filme, já que tinha expectativas bem baixas.
      O filme é carregado de humor, o que é ao mesmo tempo um ponto positivo e negativo, pois não apresenta muito mais do que isso na história.
       Apesar de dentro do contexto, o excesso de tecnologia do novo uniforme do Homem-Aranha, acabou tirando um pouco da graça do herói e da simplicidade que os filmes anteriores traziam.