terça-feira, 23 de dezembro de 2014

Lucy- Parte 1

            Lucy nunca quis ser normal, e não entendia por que alguém gostaria de ser.
Ela sabia que não era como as outras pessoas, mesmo sem nunca poder confirmar sua teoria. Mas acreditava que se vissem as coisas que ela vê, não ficariam tão mal humoradas.
Cada detalhe de seu mundo era mágico e incrivelmente colorido, e isso a fascinava demais.
Juciara Lima
 Por vezes ela ficava sonhando acordada, absorta na magia que enxergava no simples cintilar das luzes na água.
             Era como ver um arco Iris em movimento constante, dançando com suas incríveis cores, e aquilo era hipnotizante.
Toda a beleza do mundo de Lucy a tornou uma pessoa um tanto distraída, e meio isolada, pois gostava de passar muito tempo admirando o que ninguém mais entendia. Por vezes se pegava caminhando pelo parque, sem destino exato, observando a paisagem com todos os sentidos.
Sentindo a grama úmida com os pés descalços, e a brisa suave no rosto, ouvindo o som dos pássaros, cheirando as flores, e olhando o lago.
Juciara Lima.
Logo se sentia tão absorta, que era como se fizesse parte da paisagem, calma e cheia de vida. Quase não percebeu que o sol já se pusera e devia ter voltado para casa.

Sua mãe nunca entendera os devaneios de Lucy, e constantemente se enraivecia com a garota. Dizia que ela era muito distraída e que vivia fora da realidade, que o mundo não era tão belo quanto ela imaginava, que era sujo e cheio de tragédias.
Um dia a garota lhe respondeu:

- Eu sei de tudo isso mãe, sou distraída, mas não indiferente à realidade. Sei que infelizmente existe um tipo de feiura nesse mundo, mas também existe o belo. As pessoas se apegam demais a tudo o que é ruim, e esquecem-se de admirar as coisas boas. Talvez se todos vissem o mundo como eu vejo, não teriam motivos para fazer maldades e cozinhar seus problemas. Nem todos conseguem então me sinto no dever de admirar o mundo por eles, pois o mundo também merece ser visto.

Sua mãe não soube o que responder, mas obviamente ainda não compreendia, e Lucy se apiedava disso.
Em seu quarto, recusava a pensar nas palavras de sua mãe, para que o pessimismo não a alcançasse, então colocou-se a imaginar aquele mundo, que era de todos, mas ao mesmo tempo era só dela.
Juciara Lima.
Juciara Lima.


       Texto: A. Constantino Brandão
       Fotos: Juciara Lima
 

7 comentários:

  1. o primeiro de muitos que vamos fazer *.*

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. ^^ aham.
      Logo mais posto a segunda parte, com mais das suas lindas fotos ^^

      Excluir
  2. Que lindo, será um conto? Eu adoro contos e esse é bem carregado de sentimentos :)

    As fotos são lindas, ornou bem.

    bjs


    http://ateliedoslivros.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada ^^
      É um conto bem curtinho, só tem mais um parte, irei postar ainda essa semana,
      Obrigada pela visita ^^

      Excluir
  3. Bem bonito mesmo. Quero ver como vai terminar. As tragédias irão alcançar Lucy? Ela vai morrer ou viver? Ela vai mudar depois disso ou vai continuar a ver o lado bom das coisas como a Poliana da outra história?

    ResponderExcluir

Por favor, não utilizem palavras ofensivas ou divulguem spoilers de qualquer espécie.

Obrigada!