domingo, 28 de dezembro de 2014

Lucy- Parte 2


          Certo dia, Lucy vagueava pelas ruas da cidade, sozinha admirando seus próprios pés no asfalto, passos curtos e imprecisos, como se como se caminhasse em uma corda bamba.

Juciara Lima


No fim de seu passeio, quase na hora de ir para casa, ela avista uma arvore. Linda, grande, firme, mas ao mesmo tempo delicada.... Brilhante ao seus olhos e perfeita a seu modo. Lucy a ama nesse mesmo instante.

Juciara Lima

Passou o resto de sua tarde deitada às raízes da bela arvore completamente absorta no balançar de suas folhas e galhos, e quando percebe já anoitecera.

Ao chegar em casa é questionada por seu pai, sobre onde estava até essa hora.
-Desculpe pai, me distrai! Eu encontrei a arvore mais bonita do mundo.
-A é Lucy? O que essa arvore tinha de tão diferente das outras.
- Nada!- diz a jovem sorridente.
- Então porque ela é tão mais bonita do que as outras.
- Porque eu gosto dela! As pessoas são sempre iguais de certa forma, mas ainda sim, sempre achamos alguém que faz nosso coração bater mais forte, por quem sentimos admiração. Eu admiro aquela arvore.

Como sempre, seu pai não entende, e não discuto com a garota, apenas revira os olhos e volta a assistir televisão.
Lucy vai para seu quarto, louca para o dia retornar, e poder encontrar sua nova amiga, a árvore.

Durante as semanas seguintes, Lucy visitou sua amiga arvore todos os dias, passava horas à sua sombra admirando os pássaros que nela pousavam, mas infelizmente esses dias ficariam para trás. Os pais da jovem lhe contaram que deveriam se mudar. 
Apesar de saber que sentiria falta do lugar, a menina não se abateu, pois sabia que conheceria novas paisagens.
Antes de ir embora da cidade, Lucy foi se despedir da praça que tanto amava e da arvore que tanto admirava, onde deixou uma pequena carta enterrada.

Juciara Lima

“ Querido humano,
Eu me chamo Lucy e essa arvore em sua frente foi muito importante em minha vida, assim como tudo o que a rodeia, e espero do fundo do meu coração que se torne para você também.
Já que você perdeu alguns minutos lendo meu recado, que tal perder mais um pouquinho para dar valor àquilo que te cerca?
Está vendo essa grama embaixo dos seus pés? Você pode senti-la? Ou será que está de sapatos? Se estiver, tire-os um pouquinho. Deixa que o mato verde lhe faça cócegas e refresque o cansaço do dia.
Está ouvindo os pássaros? Eles estão cantando? Espero que sim, eles fazem isso de forma mágica, tente um dia ouvi-los. Nem sempre entendemos, mas é sempre divertido imaginar o que eles querem dizer.
Não sei como está o céu ai hoje, mas aprecie-o mesmo assim, porque até o céu mais nublado, pode ser lindo, com as formas das nuvens mostrando diferentes desenhos, e a luz do sol tentando atravessa-las.  Não é mágico?
Muitas pessoas não entendem porque fico tão fascinada olhando a natureza, mas mesmo assim quero tentar explicar, e quem sabe, fazer você se sentir assim também. Pois essa sensação é tão tranquilizadora.
Temos que aprender a admirar a natureza, ela ajuda a esquecer de nossos problemas, pois perto de sua imensidão e de todo seu detalhe, tudo se torna tão menor.
Nós sempre queremos que alguém nos diga palavras bonitas, nos olhe de verdade, que nos aprecie, porque com a natureza seria diferente?
Aprecie-a, cuide dela, converse com minha amiga arvore, e logo você se sentirá mais leve, é a retribuição que ela dá pela sua atenção.
Desejo que você seja muito feliz, nesse lugar ou em qualquer outro, e sei que será se souber aproveitar!"

Juciara Lima

Texto: A. Constantino Brandão
Fotos: Juciara Lima

2 comentários:

  1. Bom final para um bom conto. Imagino que a Lucy vai ser bióloga quando crescer. Os professores mais doidos que eu tive - no bom sentido - eram biólogos.

    ResponderExcluir

Por favor, não utilizem palavras ofensivas ou divulguem spoilers de qualquer espécie.

Obrigada!