terça-feira, 2 de junho de 2015

Procrastinação

    Era um daqueles dias em que Bia acordava ansiando por mudanças. Queria melhorar tudo, começando por si mesma. Fez uma lista de coisas que devia começar a comer e o que deveria deixar, para ter uma vida mais saudável e natural. Também planejou fazer exercícios diariamente, mesmo que leves, só para abandonar o sedentarismo.
     Depois ela passou para o quesito estudos, achou que precisava se tornar mais qualificada, se empenhar mais, então esquematizou uma tabela de horários e até procurou alguns cursos online para que pudesse aprender matérias diferentes.
    Para otimizar suas mudanças, era preciso espaço e organização, então, arrumou todo o seu quarto. Separou o que deveria ir para doação por estar sem uso e fez anotações sobre o que era necessário para melhorar o ambiente, como uma luminária para a escrivaninha e um pequeno colchão de exercícios.
    Planejou alguns projetos para juntar um dinheiro extra, para que pudesse levar sustentar as mudanças planejadas, que iam desde juntar as moedas que sobravam toda vez que ia à padaria até fazer pequenos artesanatos.
    Agora que suas mudanças pessoais já estavam direcionadas, era hora de tentar fazer sua pequena parte para mudar o resto do mundo a sua volta. Começou algumas pesquisas sobre reciclagem, preservação ambiental e trabalhos voluntários. Decidiu que poderia fazer algumas dessas coisas e talvez quem sabe até incentivar os outros também. Criou uma página dentro de uma rede social com o intuito de divulgar informações, boas ações e discutir ideias de como transformar de forma positiva, mesmo que discreta, a sociedade em que vivia.
    Em meio a sua epifania de mudanças, sua mãe lhe chama para o almoço. Bia se dirigi a cozinha, pensando em sua dieta, quando vê em cima do fogão uma bela lasanha. Esquecera-se de avisar com antecedência sua mãe de seus novos hábitos alimentares, então ao que parece, hoje teria de abrir uma exceção. Preparou seu prato, dizendo a si mesma que amanhã retomaria seu projeto saudável, mas assim que pensou nisso, lembrou-se da festa de sua amiga que ocorreria no dia seguinte. Tudo bem, seria só mais uma pequena exceção, afinal não poderia fazer desfeitas!
    Após servir-se, foi para a sala, assistir televisão enquanto comia, e ficou muito feliz ao ver que um de seus filmes preferidos estava passando, talvez tivesse de perder alguns minutos dos estudos, mas poderia compensar mais tarde, pensou ela. O filme era sucedido por sua continuação, que também já assistira antes, mas já fazia um bom tempo, então decidiu assisti-lo também.
    Quando acabou sua pequena sessão de cinema em casa, sentiu as vistas cansadas pesarem, e decidiu que não deveria forçar indo direto para os livros, talvez devesse tirar um pequeno cochilo, pensou, talvez assim acordasse revigorada, com mais disposição e atenção.
    Bia acabou dormindo por mais de duas horas, perdendo o resto da tarde e tendo que optar por estudar ou fazer seus exercícios antes de assistir sua novela diária. Como não conseguiu se decidir, resolveu verificar seus e-mails e navegar na internet, assim não estaria sendo injusta com nenhuma de suas tarefas.
     Quando o dia acabou, a jovem não tinha feito nada de diferente, e um pequeno remorso a atingiu, mas tudo logo passou, porque afinal, pensou ela, podia fazer isso amanhã, certo? 

(Baseado em fatos reais :p)
A. Constantino Brandão.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Por favor, não utilizem palavras ofensivas ou divulguem spoilers de qualquer espécie.

Obrigada!