terça-feira, 15 de março de 2016

A Filha do Norte



    A Filha do Norte conta a história de Michelle, uma jovem de passado misterioso, que ruma sozinha e sem destino de cidade em cidade. Após uma pequena estadia na casa de Meredith e Elza (que ela não sabe se tratarem de bruxas), a jovem se perde na floresta e acaba pedindo ajuda na mansão Vergamini onde é acolhida por sete jovens charmosos. O que Michelle não sabe é que eles, na verdade, não são o que aparentam.
      O livro, diferentemente de todos os outros que já li, não tem uma divisão em capítulos, mas sim em pequenos trechos, que muitas vezes são utilizados para a troca do ponto de vista entre os personagens. Esse estilo de narrativa me deixou confusa algumas vezes, sem saber exatamente quem estava narrando determinada cena. Apesar de não ser um método muito prático, após você se acostumar, a leitura flui de forma leve e rápida.
      O maior enfoque da história é na relação de Michelle com os Vergamini, deixando as bruxas um pouco de lado nesse primeiro volume, e no passado misterioso da jovem, que ainda a assombra. O desenvolvimento é previsível, mas em alguns momentos são entregues dicas e detalhes sobre o passado da garota, que ainda ira de alguma forma interferir em seu destino.
     Michelle é uma daquelas mocinhas boazinhas, doces, subservientes e que sempre pensam nos outros antes de si, e por isso não consegui simpatizar com a protagonista. A falta de defeitos em um personagem é algo geralmente me incomoda e que pouco me atrai. Em alguns momentos o desprendimento com a própria vida ou forma como ela entende tudo tranquilamente, beira o absurdo. Já os garotos Vergamini são o oposto. Cheio de defeitos, manias e donos de um caráter duvidoso. Gostaria de ter visto um pouco mais do desenvolvimento individual de cada um deles, pois acredito que eles têm grande potencial para a história.


      O ponto alto do livro ocorre com o gancho deixado para o início do segundo volume, previsto para o ano quem vem, que aparenta ter mais ação e ser mais revelador sobre o verdadeiro perigo do qual Michelle tanto se esconde.

14 comentários:

  1. Não conhecia esse livro, mas a história não me atraiu achei bem clichê, já existem tantas histórias de bruxas por aí, aí essas que não tem algo inovador que prenda o leitor acaba ficando sem espaço mesmo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Estou no aguardo do lançamento do segundo volume, pois ele aparenta ter mais ação do que o primeiro, além de revelar alguns pontos chaves da história. No geral eu gosto bastante de livros de fantasia, incluindo os desse gênero. Mas entendo o que você diz, quando se tem muitos livros com o mesmo tema, algo precisa realmente prender nossa atenção.

      Excluir
  2. Oiiee, tudo bom?
    Eu não conhecia o livro, ele parece ser legalzinho, mas como você não curto muito protagonistas sem defeitos, pois a deixa digamos menos humana como nos hahahaha, gostei da resenha, não pretendo ler o livro por enquanto.
    Beijos *-*

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Também gosto de personagens com defeitos e falhas, aumenta nossa empatia. No caso desse livro os meninos são mais nesse modelo do que a protagonista.
      Obrigada pelo seu comentário, e caso leia um dia, volte aqui para dar sua opinião ^^

      Excluir
  3. Ainda não conhecia esse livro e infelizmente ele não me atraiu. Também não gosto de personagens "perfeitos", pois querendo ou não, o personagem acaba se tornando irreal, sem brechas para erros e possivelmente amadurecimento. Não pretendo lê-lo :/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo que o bom de personagens com erros é a possibilidade de uma evolução, claro que personagens sem defeitos ainda evoluem, mas isso é menos vísivel.

      Excluir
  4. Oi!

    Não conhecia ainda o livro e estou em dúvida se tenho interesse de ler ou não.
    Ao mesmo tempo que eu gosto muito mesmo de história com bruxas e esse tipo de criatura, eu acho que possivelmente a autora não soube trabalhar isso muito bem, uma vez que os mistérios meio que estão sendo entregues de bandeja e tal.
    Ah, esse estilo de escrita, sem capitulos, quem usa muito é José Saramago hhahaha

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ainda não tinha lido nenhum livro sem capítulos, demorei para me habituar.
      Sobre os mistérios, eles não são bem entregues. Algumas dicas são dadas durante o livro, mas realmente não é o suspense e o drama não são o ponto principal, então não é muito difícil de imaginar o que irá acontecer. Não li o segundo livro ainda, então posso me surpreender.

      Excluir
  5. O livro parece ser bom, mas também não curto protagonistas perfeitos demais, mesmo assim a premissa me interessou bastante e fiquei curioso com a história. Pode ser que o segundo livro surpreenda com tudo o que faltou no primeiro, né? Abraços ^^

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pode sim, estou no aguardo do lançamento do segundo ^^
      Espero poder ver um pouco mais sobre as bruxas também, acho que elas ainda vão ser mais aproveitadas para a história.

      Excluir
  6. Não conhecia o livro....
    A história em si parece interessante, mas o livro não me chamou a atenção.
    Espero que o segundo livro te surpreenda =)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Assim que ler, posto a resenha aqui para vocês ^^

      Excluir
  7. Olá, eu li esse livro começo do ano e devo dizer que a história não me agradou.
    Michele é uma garota melodramática, bonzinha até demais. E durante o livro todo não acontece nada que realmente seja digno de atenção. É uma pena, estava bem esperançoso com a história :/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Entendo seu ponto de vista e concordo sobre a Michele.
      Estou no aguardo do segundo volume que me parece ter mais ação.

      Excluir

Por favor, não utilizem palavras ofensivas ou divulguem spoilers de qualquer espécie.

Obrigada!