quarta-feira, 10 de agosto de 2016

BEDA 10: Arrepio musical.


     Existem diversos tipos de reações que uma música pode te causar.
    Algumas canções te encantam pelo ritmo, te fazem querer sair de casa e dançar loucamente, como se o mundo fosse só aquela pista e nada mais importasse. Tenho uma pequena porção dessas! Outras te emocionam pela letra sentimental, profunda ou que faz muito sentido para você em determinado momento de sua vida, quase como se tivesse sido escrito por você, ou para você.
     Existem músicas que você vicia, passa a semana toda ouvindo, repetidamente sem cessar, até que você mesmo já não aguente mais ouvi-la, ou as pessoas que vivem com você, mas também tem aquelas que se passa meses sem escutar, que sempre se pula quando a playlist está no aleatório e que em algum momento você a ouve de novo, apaixona-se novamente e fica se perguntando porque ficou tanto tempo sem ouvi-la.
     Algumas te arrancam suspiros, sorrisos e até lágrimas, talvez por te lembrarem de algo ou apenas por sua beleza.

     Sempre fui muito ligada sentimentalmente a música e muitas vezes me pego arrepiada na virada de um instrumento ou de uma voz. Meus olhos se enchem de lágrimas com muita facilidade, mesmo quando só se passaram os primeiros compassos de uma canção que eu já conheço e aprecio muito, mas não são lágrimas de tristeza... Pura emoção talvez!


     Existem diversas bandas e músicas que me causam sensações e sentimentos fortes quando as escuto, mas recentemente descobri uma cantora em específico que me causa reações que nem mesmo eu sei explicar. Quem me conhece já está com toda certeza cansado de me ouvir falar sobre o quanto eu tenho uma vontade estranha de chorar quando escuto suas canções ou de como elas me ajudam a escrever, as letras se encaixando perfeitamente com as cenas que eu crio em minha mente, quase como uma trilha sonora. Se vocês verem, já falei muito sobre ela no blog e no canal, talvez não de forma tão especifica ou sentimental, acho que foi até de modo meio vago, que não expressa de forma alguma o que suas músicas realmente me passam.

      Sou a pessoa que se você olhar no ônibus estará de fone, olhando algo que não existe através da janela, e as vezes pagando o mico de reagir, sorrindo, chorando ou fazendo caras estranhas, como se estivesse respondendo alguém, o que na minha cabeça provavelmente está realmente acontecendo.
     Talvez minhas reações sejam meio estranhas, mas sei que algumas pessoas irão entender o que estou escrevendo. Pelo menos, eu acho que sim!
      Eu não arriscaria dizer que todo mundo tem, mas acredito que entre os amantes de música, boa parte deve ter aquela canção... Aquela especifica, a que se sente emocionalmente, mentalmente, e sim, fisicamente também!

2 comentários:

  1. Li seu post com a música na cabeça hahaha. Assisti a um filme, no fim do ano passado, e bem no finzinho, já na parte dos créditos, toca uma música que até hoje não sai da minha cabeça. O pior é que ela não tá no Youtube, só no MySpace - e eu não consigo baixar música do MySpace. Daí, a saída foi "gravar" a música com o gravador do celular mesmo rsrsrs Ficou com ruído, mas não consigo parar de ouvir.

    Fora essa, eu descobri o mais recente trabalho da Clarice Falcão e gostei demais de 90% das músicas. Eu coloco pra tocar no celular quando vou lavar louça, escolher livro no sebo, horário de almoço no trabalho. Estou viciada.

    Aproveito pra dizer que adorei o post. As músicas têm essa capacidade de tocar algo em nós e, quando nos sentimos tocados, é difícil desapegar.

    Andressa Lima, do Blog da Also

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fico feliz que gostou e que se identificou *-*
      Músicas são realmente inacreditáveis, lembro de músicas que eu era viciada quando criança e que apesar de não gostar mais hoje em dia, já que meu gosto mudou, sei que se ouvi-las vou ficar balançada.
      Obrigada pela visita ^^

      Excluir

Por favor, não utilizem palavras ofensivas ou divulguem spoilers de qualquer espécie.

Obrigada!