segunda-feira, 19 de dezembro de 2016

3%: primeira série brasileira no Netflix


     3% é uma distopia nacional baseada em uma web-série de mesmo nome criada por Pedro Aguilera, que estreou no Netflix dia 25 de novembro, com 8 episódios na primeira temporada.
     A série mostra a história de uma sociedade futurista, dividida entre aqueles que vivem na pobreza, sem nenhum recurso, e os que vivem no Mar Alto, um lugar onde não há violência, fome ou desigualdade.
      Para viver nesse tão sonhado lugar, jovens de 20 anos precisam passar por uma série de testes e desafios, onde apenas 3% serão escolhidos.

     Acompanhamos um grupo de jovens, que possuem motivações diferentes, tentando passar pelo processo, enquanto conhecemos mais sobre as pessoas responsáveis pela seleção.
     O seriado aborda temas como a desigualdade, injustiça, meritocracia, corrupção, fanatismo e outras questões sociais, que apesar de se passar em um mundo distópico, se aproxima muito da realidade. Com personagens interessantes e profundos, onde ninguém é realmente bom ou mal, com características densas, que te fazem simpatizar com eles, ao passo que você discorda de tudo o que eles fazem
    
     Eu já tinha assistido os episódios disponíveis da Web-série há alguns anos (e novamente agora) e fiquei muito feliz com o resultado. Não houve grandes modificações da ideia original, apenas uma produção mais sofisticada e um tom mais moderno.
     Apesar de algumas atuações não muito convincentes e umas pequenas incoerências, principalmente no visual de alguns personagens (leia aqui pessoas que vivem em extrema pobreza, com roupas em trapos, mas tem cabelos tingidos), achei toda a produção muito bem feita, com uma trilha sonora tipicamente brasileira e ótimos ganchos.

     A segunda temporada já foi confirmada, mas como não há uma data de estreia definida, aguardo novamente ansiosa para saber mais da história desses personagens tão ambíguos e cativantes.

6 comentários:

  1. Oi Andressa, tudo bem? Recentemente também assisti a série e estou louca para a segunda temporada. Gostei bastante da produção e é a primeira série distópica que vejo. Estou curiosa para os próximos episódios. Bjs
    folheandominhavida.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito legal, né? Indico a web-série em que ela foi baseada, só forma produzidos 3 episódios de 10 minutinhos, mas é legal para saber como era inicialmente.
      Obrigada pela visita ^^

      Excluir
  2. Te dizer que eu era louca pela série no tempo que rolou aquele pilot uns trocentos anos atrás, e surtei quando soube que a Netflix ia dar prosseguimento. Maaaas até hoje ainda não assisti. Sério, não sei o porquê... só não assisti... :(
    2017 vai vir pra remediar isso, hahahah

    Att.,
    Eduarda Henker
    Queria Estar Lendo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Rsrs acontece, tem várias coisas que eu adiei mesmo tendo muita vontade de assistir :p

      Excluir
  3. Putz, eu ainda não consegui parar para ver essa série! Ando supercuriosa, vou ter que dar um jeito e ver logo. Andei ouvindo muita gente falando mal, sabe, mas sei lá, me interessei pelo pouco que sei da história e continuo querendo ver.

    Beijos,
    Aline - Livro Lab

    ResponderExcluir
  4. Também vi muita gente falando mal, mas particularmente não concordo, quer dizer, algumas atuações deixam um pouco a desejar, mas tem bons personagens e uma boa história. Muitos reclamam que toda distopia é igual, mas não bem assim. É claro que a série tem algumas características comuns do renego, mas se for ver, comédias românticas também tem a mesma base, algumas bem previsíveis por sinal :p
    No geral eu super indico tanto a série quando os episódios pilotos da web-série, de onde ela se originou ^^

    ResponderExcluir

Por favor, não utilizem palavras ofensivas ou divulguem spoilers de qualquer espécie.

Obrigada!