segunda-feira, 10 de abril de 2017

Iron Fist

Cartaz de Iron Fist

     Iron Fist é a mais nova série da Netflix em parceria com a Marvel e conta a história de Danny Rand, um jovem bilionário que sofre um acidente aéreo e é resgatado por monges da misteriosa cidade de K'un-Lun, onde recebe treinamento para se tornar o lendário Punho de Ferro. Após quinze anos, Danny decide voltar a Nova Iorque e reassumir sua antiga vida, mas além das dificuldades do mundo corporativo, ele também precisara enfrentar o Tentáculo, uma antiga organização que tem envolvimento com o tráfico de drogas na cidade.

     Entre as séries de super-heróis produzidas pelo serviço de streaming, essa foi sem dúvidas a que eu menos gostei.
     Não conheço muito sobre a história original para palpitar se o seriado foi ou não fiel, mas o roteiro não foi lá muito interessante, talvez culpa de personagens que não conseguem criar empatia no espectador.
     Daniel Rand não passa de um garoto mimado, estouradinho, contradizendo tudo o que ele diz sobre autocontrole durante toda a série, que trata todos de forma arrogante e presunçosa, característica essa que está presente na maioria dos personagens da história. Até mesmo Claire Temple, uma personagem por quem sou apaixonada, está um pouco diferente em Iron Fist.

Danny Rand no dojo
Danny se metendo onde não foi chamado :p
     
     Dentre todo o elenco do seriado, o único personagem que se salva (na minha opinião, claro) é Ward Meachum, um dos sócios da empresa Rand, que não se enquadra nem como vilão, nem como mocinho. Sua personalidade é a mais convincente e densa, mostrando um homem perturbado, devido ao relacionamento abusivo com seu pai, mas ainda sim preocupado com o bem de sua família.

Ward Meachum mostrando dedo do meio

     Os dramas gerados durante as interações dos Meachum e os problemas na empresa, acabam se tornando muito mais interessante do que a briga do Punho de Ferro com o Tentáculo, que mesmo tentando introduzir um elemento surpresa no meio da temporada, acabou sendo bem morno.

      Espero que a diferença da narrativa e a personalidade de Danny não atrapalhem sua interação com os outros defensores na série Cross-over que terá seu lançamento ainda esse ano no Netflix.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Por favor, não utilizem palavras ofensivas ou divulguem spoilers de qualquer espécie.

Obrigada!