domingo, 4 de junho de 2017

OQAES: Mulher-Maravilha


     Já há algum tempo estou muito ansiosa para assistir ao primeiro filme solo de Mulher-Maravilha, mais ou mesmo desde a época em que assisti Batman vs Superman: A Origem da justiça, filme esse que eu não gostei e que teve como único grande momento a aparição da Amazona.
     Nessa última semana que antecedeu a estreia do filme da heroína, li diversas criticas com ótimas avaliações sobre o longa, o que me levou ao cinema cheia de grandes expectativas.

     O filme no geral não me desapontou, teve um roteiro simples, mas com ótimas cenas e o mais importante, uma boa representação de uma mulher guerreira. Diana Prince (Gal Gadot) é uma mulher forte, mas ao mesmo tempo sensível e feminina. Ela não foi masculinizada ou hipersexualizada, como infelizmente acontece com frequência na representação de mulheres poderosas no cinema e na televisão.
      A princesa da Ilha Paraíso amadurece ao longo do filme, passando por difíceis descobertas sobre a índole humana. Isso trás uma densidade interessante para o personagem, onde podemos enxergar diferentes camadas de sua personalidade. Ao mesmo tempo que Diana é ingênua, também é uma mulher cheia de conhecimentos. Tem valores fortes e toma suas próprias decisões, mas não se fecha para novos aprendizados.

      Além disso, o filme conta com um grupo bem diversificado de pessoas, cada um com sua história particular mencionada, ainda que por cima, durante a história. Infelizmente nem todos os personagens foram muito bem utilizados e desenvolvidos, como é o caso da vilã Dra. Maru (Elena Anaya), que não teve quase nada de seu background explicado, e Etta (Lucy Davis) de quem não sabemos quase nada, além de sua profissão.

      Outro detalhe que me incomodou no filme, foi a escolha de como um dos maiores problemas foi solucionado, mas como para explicar isso preciso soltar um grande SPOILER, vou escrever em cinza bem claro, e quem quiser por sua conta em risco e ler algo sobre o fim da história, basta selecionar:

      Uma das grandes ameaças apresentadas no longa é uma nova arma, que está sendo transportada em um avião e irá devastar a cidade de Londres.
       Enquanto Diana duela contra Ares, o Deus da Guerra, a tarefa de impedir a morte de milhares de pessoas fica nas mãos do piloto Steve Travor (Chris Pine).
       Sendo essa uma das maiores ameaças, acredito que não devia ter sido deixada para outra pessoa que não a heroína. Eu não digo que ela devesse fazer tudo sozinha, sem nenhuma ajuda, mas achei esse um dos pontos mais importantes daquele fim de guerra, e acabou sendo resolvido por outra pessoa.
        Apesar de a batalha entre Ares e a Mulher Maravilha, ser obviamente pensada como o confronto final, o grande ápice do filme, eu não acho que suas consequências sejam tão impactantes.

     Fim do Spoiler

      Apesar de não achar que Mulher Maravilha supriu toda a minha expectativa, o considero um bom filme, que cumpriu o que propôs e que pode ser uma porta de abertura para outras ótimas produções sobre heroínas. Recomendo ^^

10 comentários:

  1. Para ser sincera, eu tenho um grande ranço por filmes de super-heróis a maioria não me conquistou, os meus favoritos é o Batman e o homem aranha, embora eu ache que as aparições recentes de ambos nas telas do cinema foram bem decepcionantes. Com isso, fui com a expectativa -1 ao assistir a Mulher Maravilha, e foi um dos poucos filmes de super-heróis que achei bom. Eu não tenho conhecimento dos quadrinhos, coisa que eu queria ter, mas concordo com a sua visão sobre Ares e a guerra, eu realmente acho que aquilo não marcou o fim da guerra. Adoro suas​ resenhas​, parabéns pelo​ o post!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada ^^
      Eu até gosto de filmes de heróis, mas os últimos que tenho assistido tem me decepcionado bastante (tirando esse e Logan).

      Excluir
  2. Como a maioria dos críticos disse, a ideia desse filme da Mulher Maravilha era trazer o conceito da mulher neste século, uma nova versão para ser parâmetro para todas nós ❤ Amei o post!

    ResponderExcluir
  3. Olá Andressa!

    Não achei o filme perfeito, não! Mas em vista dos últimos filmes da DC, achei o filme digno a personagem! O filme é belo, a história é simples, mas bem contada! É um filme de herói, isso deve ser levado em conta! nâo sei se vão conseguir resultado semelhante com a liga da Justiça!

    Ótimo blog! Ótimo post! Voltarei!
    Um abraço!

    André Sarti
    http://andresarti.com.br/blog/



    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ahh sei lá, eu esperava mais. Sobre a masculinização eu achei que faltou alguns músculos nela. As amazonas eram mulheres extremamente fortes, tanto na hora de bater como no corpo físico. Apesar de gostar muito da atriz, acho que existem outras que ficariam melhor como Mulher Maravilha. Mas como todo filme de apresentação de personagem, eles são mais leves sem muito detalhes e tals.

      Eu assistiria de novo mas ainda sim não me convenceu muito. :)

      O Mundo de Eulália

      Excluir
    2. Como a força dela vem de algo divino, eu não acho que músculos sejam realmente necessários, até gostei do fato dela não ser musculosa.
      Também gostaria de ver mais detalhes nos próximos filmes, principalmente sobre a cultura das Amazonas.

      Excluir
  4. Eu infelizmente não vi o filme ainda. Estou doido para ver porque está tendo muita gente falando muito bem mesmo. Parabéns pelo post ❤😘✌👍☺😃

    ResponderExcluir

Por favor, não utilizem palavras ofensivas ou divulguem spoilers de qualquer espécie.

Obrigada!