segunda-feira, 9 de abril de 2018

Legend



Legend é o primeiro volume da trilogia distópica escrita por Marie Lu, ambientado na cidade de Los Angeles no ano de 2130.

June é a militar mais jovem e uma das mais habilidosas e Day é o criminoso mais procurado pela república. Dois mundos diferentes que acabam se cruzando quando o irmão de June é assassino e Day é considerado o principal suspeito.
Decidida a encontrar e prender o assassino de seu irmão, June acaba se deparando com descobertas perigosas sobre a sociedade em que vive.

O livro tem uma premissa bem simples, com um enredo tipico de séries distópicas e não destoa muito do esperado.
O fato dos personagens serem muito bons em tudo, faz parte da premissa da história, mas acaba incomodando um tantinho. Ainda não conheci os defeitos deles, o que na minha opinião, os tornaria muito mais interessantes.
Também não sou muito a favor de fazer os protagonistas tão jovens. Entendo que a ideia era eles serem bons de mais para sua idade, mas acho que a ideia de homens de quase trinta anos interessados em uma adolescente de quinze anos é um tanto quanto perturbador.

Apesar de não ser surpreendente, Legend tem cenas de ações bem interessantes, com ótimas descrições e um ritmo muito bom de leitura. Os capítulos são intercalados entre os personagens, criando dinâmica na narrativa. As revelações são feitas de forma fluída, sem grandes dramas e enrolações.


sexta-feira, 6 de abril de 2018

Jessica Jones- 2ª temporada



A segunda temporada de Jessica Jones estreou no dia 08 de março, dia da mulher, com treze novos episódios.

O enredo continua explorando os traumas de Jessica, mostrando mais sobre o processo que lhe concedeu suas habilidades especiais e sua juventude ao lado de Patsy.
Vemos os conflitos internos e morais da protagonista durante toda a história, dividida entre o que é certo e o que manda seu coração solitário.

Alguns personagens me decepcionaram bastante por suas atitudes, mas isso os torna mais humanos e críveis, então, não considero isso um fator negativo. Até mesmo Jessica comete vários erros durante a série, e você acaba entendendo muitos deles.
Trish foi um desses casos, de forma bem extrema. Apesar de saber todos os problemas que a melhor amiga da protagonista passou, é muito difícil não se irritar com suas atitudes egoístas e sua obsessão em se tornar mais forte.




Assim como a primeira temporada, esses novos episódios tem um ritmo um pouco arrastado, podendo talvez ser mais enxuta, mas não chega a se tornar cansativa.

Depois da grande falha em Punho de Ferro e Os Defensores, acredito que esses novos episódios de Jessica Jones, com boas atuações e boas cenas, veio para levantar novamente a qualidade das séries Netflix/Marvel e tenho grandes expectativas para uma terceira temporada.