sexta-feira, 19 de abril de 2019

Special

personagens do seriado special

Special é novo seriado da Netflix, criado por Ryan O'Connell e produzida por Jim Parson, e acompanha a vida de Ryan, um rapaz de 28 anos, gay, portador de paralisia cerebral, que tem dificuldades em aceitar sua deficiência e prefere esconde-la de seus colegas de trabalho.

Ryan inicia uma nova etapa de sua vida, estagiando em um grande blog, conhecendo novas pessoas e desenvolvendo interesses amoroso e decide se afastar de seu lar, onde vivia com sua mãe que ele julga ser super-protetora. 

O seriado tem 8 episódio de aproximadamente 14 minutos, sendo super fácil de se maratonar. Fazia tempo que não terminava de assistir uma série em 24 horas.

A primeira temporada falhou um pouco no quesito desenvolvimento, pois teve alguns conflitos resolvidos de forma muito rápida, o que até é compreensível se levarmos em conta a duração dos episódios, mas isso acabou prejudicando o aprofundamento dos personagens.

Apesar de deixar a desejar no quesito drama e tensão, a série acerta em momentos de comédia e estou no aguardo da confirmação da segunda temporada, já que foi deixado um final em aberto para uma possível continuação.

domingo, 17 de março de 2019

The Umbrella Academy

banner da série The Umbrella Academy

The Umbrella Academy é a nova série produzida para o Netflix, baseada na HQ homônima criada por Gerard Way que conta a história de sete crianças que tiveram circunstâncias de nascimento bem incomuns e foram adotadas pelo rico e excêntrico Sir Reginald Hargreeves, que os treina para combater o crime.

A série produzida por Steve Blackman conta com 10 episódios em sua primeira temporada e já teve sua renovação anunciada.

A família Hargreeves tem um passado disfuncional que deixou marcas profundas em seus integrantes que se separaram ainda na juventude e só voltam a se reencontrar no velório de seu pai. O evento é marcado por conflitos pessoais e a revelação de um grande perigo para humanidade, que fará com que os irmãos precisem lidar com seus problemas internos, os segredos de seu pai e ainda salvar o mundo.

A série tem um estilo de roteiro que só consigo nomear como ligeiramente bizarro, mas de uma forma positiva e envolve drama, comédia, ação e ficção científica.

Os personagens são interessantes passam boa parte dos episódios lidando com suas questões pessoais, envolvendo pouco o resto da família, mas ainda criando uma interação entre eles. Salvar o mundo passa grande parte dos episódio em segundo plano, o que não foi exatamente um problema e na verdade deixou o foco em assuntos que conseguem nos envolver.

As interpretação são simplesmente fantásticas e um motivo por si só para assistir a série, principalmente dos atores Roberto Sheehan e Ainda Gallagher, que fazem respectivamente Klaus Hargreeves, um usuário de drogas que pode se comunicar com os mortos, e o Número 5, que tem a capacidade de se teletransportar.

personagem Klau e Cinco da série The Umbrella Academy

Ao fim da temporada foi deixado um enorme gancho para continuação que tem previsão de estreia em 2020, mas sem data definida até o momento. Estou bem curiosa!

sexta-feira, 1 de março de 2019

O Príncipe Dragão- 2ª temporada

O Príncipe Dragão

A segunda temporada da animação O Príncipe Dragão chegou à Netflix esse mês, com nove novos episódios, que se iniciam exatamente onde a primeira temporada terminou, durante a jornada de Callum e Ezran para levar o ovo do Príncipe Dragão de volta para mãe, com o intuito de impedir uma guerra devastadora.


A nova temporada se passa em poucos dias, assim como a primeira, mas dá um maior enfoque na evolução dos personagens do que em grandes aventuras. Todos passam por momentos de dúvidas e provações que modificam suas maneiras de ver a vida e lidar com as situações.


Um ponto muito interessante dos personagens dessa animação é que eles não unidimensionais. Cada um deles tem seu lado sério e denso, mas também possuem senso de humor, manias e momentos bobos, que os tornam muito mais cativantes. É difícil enxerga-los só como vilões ou só como mocinhos (claro, há exceções).


A série cria nessa segunda temporada uma forte ligação com histórias passadas, o que com toda certeza me deixou bem curiosa para saber mais sobre o início da guerra e sobre personagens novos que foram introduzidos.


O Príncipe Dragão se mostrou uma série bem representativa desde o início, mas deu um grande passo ao apresentar um casal de Rainhas guerreiras e extremamente respeitadas por seu povo (acho que literalmente cheguei a aplaudir a animação nesse momento). Alias, as mulheres da série são fantásticas de modo geral, cheias de personalidade e nos mais diferentes estilos.


Rainhas de Duren de O Príncipe Dragão


Apesar de os gráficos não terem mudado muito (mesmo depois das inúmeras críticas no primeiro ano da animação) acabei me acostumando com eles, e me peguei admirando os belos cenários em alguns momentos.


Estou muito ansiosa e empolgada para uma terceira temporada, que ainda aguarda renovação (acredito que vai rolar, pois a maioria das críticas foram super positivas).

Se você ainda não assisti e pretende passar o carnaval descansando, essa pode ser uma boa opção para maratonar.

sexta-feira, 8 de fevereiro de 2019

Sex Education

Eric, Maeve e Otis do seriado Sex Education

Sex Education é uma série original Netflix que acompanha o dia-a-dia de Otis (Asa Butterfield), filho de uma terapeuta sexual, que apesar de lidar com seus próprios problemas relacionados ao assunto, acaba se tornando conselheiro dos jovens da escola Moordale. 

A série de comédia conta com 8 episódios em sua primeira temporada e trata de forma bem humorada os problemas e dúvidas que os adolescentes enfrentam nessa fase da vida utilizando uma quantidade aceitável de clichês do gênero.

Os personagens são bem diversos, com diferentes características e níveis de complexidade. No elenco principal, além de Otis, temos Eric (Ncuti Gatwa), seu melhor amigo, Maeve (Emma Mackey), uma jovem com péssima reputação na escola, e Adam (Connor Swindells), o filho rebelde do diretor, entre outros.

Um dos principais elogios que tenho sobre a Sex Education é o quanto a série foi inclusiva, com diversidade de gênero, raça e sexualidade. Um bom exemplo disso é a família de Jackson (Kedar Willians-Stirling), representante da turma e excelente atleta do colégio. O rapaz é criado por duas mães e em nenhum momento isso é questionado ou julgado na série, aliás, a família é usada como exemplo de um lar estruturado com um filho promissor. 

Outro ponto interessante é a construção de Otis, que apesar de ter algumas atitudes babacas (acho que acontece com todo mundo, né?), é mostrado como um jovem de masculinidade sensível, respeitoso e muito carinhoso com seu melhor amigo, por exemplo. A relação desses dois personagens é simplesmente uma delicia de assistir.


Eric e Otis abraçados


Com uma boa dose de humor, personagens com boas interações e uma temática interessante, Sex Education é uma daquelas séries que você começa assistir e não para mais (ainda estou tentando recuperar meu sono dos dias que fiquei maratonando).

Fiquei muito feliz em saber que ela teve sua segunda temporada confirmada, afinal, algumas coisas ficaram em aberto no último episódio e eu estou bem curiosa!

Ah! Vale ressaltar que se você é aquela tipo de pessoa que fica encabulado em ver cenas quentes na frente dos outros, essa não é uma série que você vai querer ver acompanhado, já que os episódios estão recheados sexo e nudez.