domingo, 17 de março de 2019

The Umbrella Academy

banner da série The Umbrella Academy

The Umbrella Academy é a nova série produzida para o Netflix, baseada na HQ homônima criada por Gerard Way que conta a história de sete crianças que tiveram circunstâncias de nascimento bem incomuns e foram adotadas pelo rico e excêntrico Sir Reginald Hargreeves, que os treina para combater o crime.

A série produzida por Steve Blackman conta com 10 episódios em sua primeira temporada e já teve sua renovação anunciada.

A família Hargreeves tem um passado disfuncional que deixou marcas profundas em seus integrantes que se separaram ainda na juventude e só voltam a se reencontrar no velório de seu pai. O evento é marcado por conflitos pessoais e a revelação de um grande perigo para humanidade, que fará com que os irmãos precisem lidar com seus problemas internos, os segredos de seu pai e ainda salvar o mundo.

A série tem um estilo de roteiro que só consigo nomear como ligeiramente bizarro, mas de uma forma positiva e envolve drama, comédia, ação e ficção científica.

Os personagens são interessantes passam boa parte dos episódios lidando com suas questões pessoais, envolvendo pouco o resto da família, mas ainda criando uma interação entre eles. Salvar o mundo passa grande parte dos episódio em segundo plano, o que não foi exatamente um problema e na verdade deixou o foco em assuntos que conseguem nos envolver.

As interpretação são simplesmente fantásticas e um motivo por si só para assistir a série, principalmente dos atores Roberto Sheehan e Ainda Gallagher, que fazem respectivamente Klaus Hargreeves, um usuário de drogas que pode se comunicar com os mortos, e o Número 5, que tem a capacidade de se teletransportar.

personagem Klau e Cinco da série The Umbrella Academy

Ao fim da temporada foi deixado um enorme gancho para continuação que tem previsão de estreia em 2020, mas sem data definida até o momento. Estou bem curiosa!

sexta-feira, 1 de março de 2019

O Príncipe Dragão- 2ª temporada

O Príncipe Dragão

A segunda temporada da animação O Príncipe Dragão chegou à Netflix esse mês, com nove novos episódios, que se iniciam exatamente onde a primeira temporada terminou, durante a jornada de Callum e Ezran para levar o ovo do Príncipe Dragão de volta para mãe, com o intuito de impedir uma guerra devastadora.


A nova temporada se passa em poucos dias, assim como a primeira, mas dá um maior enfoque na evolução dos personagens do que em grandes aventuras. Todos passam por momentos de dúvidas e provações que modificam suas maneiras de ver a vida e lidar com as situações.


Um ponto muito interessante dos personagens dessa animação é que eles não unidimensionais. Cada um deles tem seu lado sério e denso, mas também possuem senso de humor, manias e momentos bobos, que os tornam muito mais cativantes. É difícil enxerga-los só como vilões ou só como mocinhos (claro, há exceções).


A série cria nessa segunda temporada uma forte ligação com histórias passadas, o que com toda certeza me deixou bem curiosa para saber mais sobre o início da guerra e sobre personagens novos que foram introduzidos.


O Príncipe Dragão se mostrou uma série bem representativa desde o início, mas deu um grande passo ao apresentar um casal de Rainhas guerreiras e extremamente respeitadas por seu povo (acho que literalmente cheguei a aplaudir a animação nesse momento). Alias, as mulheres da série são fantásticas de modo geral, cheias de personalidade e nos mais diferentes estilos.


Rainhas de Duren de O Príncipe Dragão


Apesar de os gráficos não terem mudado muito (mesmo depois das inúmeras críticas no primeiro ano da animação) acabei me acostumando com eles, e me peguei admirando os belos cenários em alguns momentos.


Estou muito ansiosa e empolgada para uma terceira temporada, que ainda aguarda renovação (acredito que vai rolar, pois a maioria das críticas foram super positivas).

Se você ainda não assisti e pretende passar o carnaval descansando, essa pode ser uma boa opção para maratonar.

sexta-feira, 8 de fevereiro de 2019

Sex Education

Eric, Maeve e Otis do seriado Sex Education

Sex Education é uma série original Netflix que acompanha o dia-a-dia de Otis (Asa Butterfield), filho de uma terapeuta sexual, que apesar de lidar com seus próprios problemas relacionados ao assunto, acaba se tornando conselheiro dos jovens da escola Moordale. 

A série de comédia conta com 8 episódios em sua primeira temporada e trata de forma bem humorada os problemas e dúvidas que os adolescentes enfrentam nessa fase da vida utilizando uma quantidade aceitável de clichês do gênero.

Os personagens são bem diversos, com diferentes características e níveis de complexidade. No elenco principal, além de Otis, temos Eric (Ncuti Gatwa), seu melhor amigo, Maeve (Emma Mackey), uma jovem com péssima reputação na escola, e Adam (Connor Swindells), o filho rebelde do diretor, entre outros.

Um dos principais elogios que tenho sobre a Sex Education é o quanto a série foi inclusiva, com diversidade de gênero, raça e sexualidade. Um bom exemplo disso é a família de Jackson (Kedar Willians-Stirling), representante da turma e excelente atleta do colégio. O rapaz é criado por duas mães e em nenhum momento isso é questionado ou julgado na série, aliás, a família é usada como exemplo de um lar estruturado com um filho promissor. 

Outro ponto interessante é a construção de Otis, que apesar de ter algumas atitudes babacas (acho que acontece com todo mundo, né?), é mostrado como um jovem de masculinidade sensível, respeitoso e muito carinhoso com seu melhor amigo, por exemplo. A relação desses dois personagens é simplesmente uma delicia de assistir.


Eric e Otis abraçados


Com uma boa dose de humor, personagens com boas interações e uma temática interessante, Sex Education é uma daquelas séries que você começa assistir e não para mais (ainda estou tentando recuperar meu sono dos dias que fiquei maratonando).

Fiquei muito feliz em saber que ela teve sua segunda temporada confirmada, afinal, algumas coisas ficaram em aberto no último episódio e eu estou bem curiosa!

Ah! Vale ressaltar que se você é aquela tipo de pessoa que fica encabulado em ver cenas quentes na frente dos outros, essa não é uma série que você vai querer ver acompanhado, já que os episódios estão recheados sexo e nudez.

quinta-feira, 24 de janeiro de 2019

Passeio na Fortaleza de Santo Amaro da Barra Grande

Andressa na frente da fachada da Fortaleza de Santo Amaro da Barra Grande

Nasci em Santos e cresci pela região (moro em São Vicente, mas trabalho e estudo na minha cidade natal, que é bem aqui do lado), sempre caminhei pela orla da praia e tive como vista o Forte Branco do outro lado do Mar, mas a visita ao local sempre foi adiada.

Acredito que a maioria das pessoas acabam ignorando os pontos turísticos de suas próprias cidades, dando grande valor a viagens e passeios em outras regiões e eu estou inclusa nesse grupo :p. Vivo reclamando que há pouco a se fazer por aqui, mas não conheço nem metade das atrações. Estou querendo mudar isso!

Já faz pelo menos uns dez anos que meu noivo e eu estamos combinando de conhecer a Fortaleza de Santo Amaro da Barra Grande (o forte branco). Quando eu digo combinando, entenda que se trata de:

— Vamos lá qualquer dia?
— Vamos!

E depois o assunto morria.

Mas essa semana o Rafa decidiu que já estava na hora, então finalmente caçamos na internet os horários e pedimos informações de como chegar ao lugar, arrumamos minha mochilinha (sempre saio abastecida) e pé na estrada, ou melhor dizendo, pé no barquinho que nos levaria lá :p.

O Que é a Fortaleza?


A Fortaleza de Santo Amaro da Barra Grande é atualmente um museu histórico e um monumento tomado pelo IPHAN.

Foi construído em 1584, como projeto do arquiteto militar Giovanni Battista Antonelli, para a proteger o acesso do estuário do maior porto da América Latina contra corsários Ingleses.

Vocês podem saber mais detalhes sobre o forte no site do museu, onde também encontram curiosidade e podem também realizar agendamento de ensaios e visitas.

Travessia


Acho que é aqui que confesso que morro de medo do mar e que apesar de viver há 27 anos em uma cidade litorânea, não sei nadar.

Subir na barquinha que faz a travessia de Santos até o forte foi um momento um pouco tenso para mim, que não consegui curtir muito a bela paisagem pelo medo das ondas e pelo enjoo que me acompanha a vida toda em todos os meios de transporte.

travessia pelo mar de Santos para o Guarujá

O Lugar


Logo na chegada, ao redor do atracadouro, há uma pequena praia, sem ondas, de água mais limpa do que a que eu estou costumada. O local estava bem cheio, com várias crianças pulando das pontes e pedras.

Uma pena que eu não tenha batido foto, pois era uma prainha muito simpática.

O Museu


Apesar de não estar tendo nenhuma exposição especifica e ter poucas coisas fixas para se ver (apenas algumas miniaturas de barcos e fotos da época em que o edifício esteve abandonado). A fortaleza tem uma construção muito legal e uma vista que faz o passeio valer a pena. Muitas pessoas utilizam o lugar para fazer ensaios de casamento (inclusive no dia que fomos).

Vista para o mar da Fortaleza de Santo Amaro da Barra Grande


Fomos em um sábado e estranhei o lugar estar tão vazio, principalmente por ser um belo dia de sol. Não sei se esse é o movimento habitual do museu, mas parecia que o local não estava acostumado a receber muitas visitas.

Há uma pequena lanchonete e banheiro no museu, mas apesar de arrumados, não estavam abastecidos.

Realizamos uma pequena trilha com um guia, para onde era o mirante, mas a vegetação cobre a vista para o mar. Há também a opção de uma trilha pelas pedras para a Praia do Goes, mas como havia poucos guias disponíveis (e eu não achei seguro sendo desastrada como sou fazer o caminho sem alguém experiente), acabamos não fazendo o percurso.

Caminho para a trilha