terça-feira, 7 de agosto de 2018

Meu primeiro dia na faculdade de Letras



Tinha planejado escrever um post para falar sobre meu primeiro dia no curso de Letras (minha segunda formação, na Universidade Paulista, mesmo sem ter muita certeza se teria algo para comentar, mas algo engraçado aconteceu hoje então vou ter algo para contar.

Acordei as seis e meia e me arrumei rapidinho, porque sou dessas que prefere me aprontar correndo do que ter que acordar muito mais cedo. Sai de casa lá para sete da manhã e felizmente peguei logo o ônibus, acreditando que conseguiria chegar na aula as oito, sem me recordar do enorme transito de todos os dias na divisa de Santos e São Vicente.

Preocupada por já estar atrasada, olhei rapidamente a listagem que estava na porta da faculdade que informava minha sala e subi apressada.

Pequeno adendo: estudo no terceiro andar e crente que aguentaria, decidi subir pelas rampas. No segundo lance percebi que meu sedentarismo não permitira realizar tal ato, mas aí já era tarde demais para pegar o elevador. Cheguei na sala como se tivesse corrido a meia maratona.

Já na sala de aula, morrendo de medo de estar no lugar errado, confirmei com um rapaz se aquela era realmente a turma de Letras. Ele era estudante de administração mas disse que aquela era aparentemente uma aula mista. Como sei que isso era uma prática comum da UNIP, sentei em uma cadeira, ao lado de outro estudante de Letras (uffa, parecia que estava mesmo na sala certa) e aguardei.

O professor logo entrou, deu bom dia e se pôs a escrever na lousa o conteúdo pragmático. Quando li o nome da matéria, Tecnologia da Informação, senti um leve desespero brotar em meu peito. Para quem não sabe, cheguei a fazer um curso de Técnico em Informática (com foco em programação) que abandonei poucas semanas antes de me formar. Gostava tanto do curso que pouco tempo depois, já tinha esquecido quase tudo. A matéria me persegue tanto, que sou rodeada de pessoas que a estudam e passam horas falando sobre (e eu panguando, claro!).

Na descrição do conteúdo da matéria, mais um momento de pânico, tinha contabilidade. Olhei para os lado, procurando mais olhares desesperados, mas estavam todos aparentemente bem com isso.

Após copiar uma lousa inteira, o professor começou a se apresentar e falar de sua formação. Depois ele passou o horário de aulas dos alunos de ADM, apenas deles. Levantei o braço e perguntei sobre a grade da turma de letras e foi só aí, meia hora depois, que tivemos a certeza de que estávamos na sala errada. O mico só não foi maior porque comigo tinha mais dois alunos que não deviam estar ali.

Enfim, saímos os três em busca da nossa turma e por sorte, quando chegamos, o professor ainda não tinha aparecido. Apesar de toda a confusão, fiquei muito aliviada de não ter que cursar aquela matéria e muito contente em ver minha grade real.

Saímos da primeira aula com 23 páginas para xerocar (vida de universitário é mesmo uma porção de xerox) e nosso horário e salas corretas.


 Por ser meu primeiro semestre (misto com o pessoal do segundo) ainda estou um pouco perdida com o funcionamento de algumas coisas, mas muito empolgada com o curso.


Conforme for aparecendo novidades, vou falando um pouco sobre essa nova fase da minha vida e curiosidades sobre o curso.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Por favor, não utilizem palavras ofensivas ou divulguem spoilers de qualquer espécie.

Obrigada!