sexta-feira, 5 de outubro de 2018

O Príncipe Dragão


A nova animação da Netflix, escrita por Aaron Ehasz (Avatar: A Lenda de Aang) e por Justin Richmond, conta a história de um mundo dividido pela guerra entre seres mágicos e humanos.

Após descobrir o ovo do Príncipe Dragão, que todos acreditam ter sido destruído pelo humanos, os jovens Príncipes Ezran e Callun se aliam a Rayla, uma elfa da lua enviada para mata-los, com o intuito de devolver o ovo ao seu lar e tentar assim reinstaurar a paz entre os reinos.


Apesar de sentir um leve desconforto com a mistura de 3D e 2D na animação, preciso elogiar o visual do desenho e de seus personagens, muito bem feitos e com características bem marcantes. É possível identificar semelhanças visuais e de estilo com Avatar, o que claro, me deixou bem nostálgica.




A história tem um enredo bem simples, tipico de uma narrativa de RPG, onde personagens com habilidades distintas se unem em uma jornada cheia de perigos para cumprir sua missão, mas possui um desenrolar envolvente e personagens muito bem elaborados.

Minha parte preferida da série é a enorme representatividade espalhada por seus personagens, de várias etnias e com características muito distintas, incluindo uma comandante fodona muito habilidosa que é muda e fala através de linguagem de sinais. E claro, preciso falar das ótimas protagonistas femininas de forma geral. Cheias de bom humor, carisma e  poderes, muito distintas umas das outras, com defeitos e qualidades que as tornam muio mais interessantes.


Bons traços, personagens interessantes, história básica, mas feita de forma inclusiva e poucos episódios na primeira temporada, fazem de O Príncipe Dragão uma ótima aposta e uma animação fácil de ser maratonada. Super recomendo!

Um comentário:

Por favor, não utilizem palavras ofensivas ou divulguem spoilers de qualquer espécie.

Obrigada!