quinta-feira, 24 de janeiro de 2019

Passeio na Fortaleza de Santo Amaro da Barra Grande

Andressa na frente da fachada da Fortaleza de Santo Amaro da Barra Grande

Nasci em Santos e cresci pela região (moro em São Vicente, mas trabalho e estudo na minha cidade natal, que é bem aqui do lado), sempre caminhei pela orla da praia e tive como vista o Forte Branco do outro lado do Mar, mas a visita ao local sempre foi adiada.

Acredito que a maioria das pessoas acabam ignorando os pontos turísticos de suas próprias cidades, dando grande valor a viagens e passeios em outras regiões e eu estou inclusa nesse grupo :p. Vivo reclamando que há pouco a se fazer por aqui, mas não conheço nem metade das atrações. Estou querendo mudar isso!

Já faz pelo menos uns dez anos que meu noivo e eu estamos combinando de conhecer a Fortaleza de Santo Amaro da Barra Grande (o forte branco). Quando eu digo combinando, entenda que se trata de:

— Vamos lá qualquer dia?
— Vamos!

E depois o assunto morria.

Mas essa semana o Rafa decidiu que já estava na hora, então finalmente caçamos na internet os horários e pedimos informações de como chegar ao lugar, arrumamos minha mochilinha (sempre saio abastecida) e pé na estrada, ou melhor dizendo, pé no barquinho que nos levaria lá :p.

O Que é a Fortaleza?


A Fortaleza de Santo Amaro da Barra Grande é atualmente um museu histórico e um monumento tomado pelo IPHAN.

Foi construído em 1584, como projeto do arquiteto militar Giovanni Battista Antonelli, para a proteger o acesso do estuário do maior porto da América Latina contra corsários Ingleses.

Vocês podem saber mais detalhes sobre o forte no site do museu, onde também encontram curiosidade e podem também realizar agendamento de ensaios e visitas.

Travessia


Acho que é aqui que confesso que morro de medo do mar e que apesar de viver há 27 anos em uma cidade litorânea, não sei nadar.

Subir na barquinha que faz a travessia de Santos até o forte foi um momento um pouco tenso para mim, que não consegui curtir muito a bela paisagem pelo medo das ondas e pelo enjoo que me acompanha a vida toda em todos os meios de transporte.

travessia pelo mar de Santos para o Guarujá

O Lugar


Logo na chegada, ao redor do atracadouro, há uma pequena praia, sem ondas, de água mais limpa do que a que eu estou costumada. O local estava bem cheio, com várias crianças pulando das pontes e pedras.

Uma pena que eu não tenha batido foto, pois era uma prainha muito simpática.

O Museu


Apesar de não estar tendo nenhuma exposição especifica e ter poucas coisas fixas para se ver (apenas algumas miniaturas de barcos e fotos da época em que o edifício esteve abandonado). A fortaleza tem uma construção muito legal e uma vista que faz o passeio valer a pena. Muitas pessoas utilizam o lugar para fazer ensaios de casamento (inclusive no dia que fomos).

Vista para o mar da Fortaleza de Santo Amaro da Barra Grande


Fomos em um sábado e estranhei o lugar estar tão vazio, principalmente por ser um belo dia de sol. Não sei se esse é o movimento habitual do museu, mas parecia que o local não estava acostumado a receber muitas visitas.

Há uma pequena lanchonete e banheiro no museu, mas apesar de arrumados, não estavam abastecidos.

Realizamos uma pequena trilha com um guia, para onde era o mirante, mas a vegetação cobre a vista para o mar. Há também a opção de uma trilha pelas pedras para a Praia do Goes, mas como havia poucos guias disponíveis (e eu não achei seguro sendo desastrada como sou fazer o caminho sem alguém experiente), acabamos não fazendo o percurso.

Caminho para a trilha

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Por favor, não utilizem palavras ofensivas ou divulguem spoilers de qualquer espécie.

Obrigada!